quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Arrogância intelectual cristã





Nos últimos dias tenho pensado muito, refletido longamente sobre esse sentimento de superioridade(latente) que atinge algumas pessoas , principalmente no campo do conhecimento humano - aqui, especificamente direcionado ao metier cristão. Ouso denominar esse sentimento espúrio de 'complexo da arrogância intelectual'. Tais pessoas acometidas por essa moléstia da alma são muito comuns na vida secularizada, nos meios acadêmicos, mas o 'câncer' também tem avançado lenta e gradualmente no meio cristão.

Alguns desses, cronicamente acometidos pela doença, se arrogam a donos do conhecimento divino, quase como se fossem porta-vozes de Deus. Não há nada que não saibam com irretorquível profundidade. Não há mistérios: tudo pode ser desvendado. Não há sequer uma bruma: Deus pode ser apreendido na Sua essência.

Por mais escabrosamente oculto que seja o resultado de um raciocínio na seara Divina, para eles a lógica é evidente. Embora não admitindo que estão com isso a exaurir Deus (como se isso fosse possível) desvendam-NO até esvaziá-LO; dissecam o Criador.

Esses gênios da racionalidade, virtuoses do conhecimento, ases do raciocínio, não encontram barreiras nem mesmo na insondável profundidade... Aliás, nada há que seja insondável para eles...

Não há antinomia ou paradoxo, mesmo em Deus, que lhes tolham os movimentos. Eis que eles continuam transbordantes de saber; importa que todos os obstáculos sejam transpostos, ainda que colocados em seu caminho por Ele.

Deus está desnudo; não Lhe cobre nem mesmo etéreo manto. Há deles que, malgrado exercitarem uma exterior humildade para com o Criador, ao mesmo tempo sugam tudo que Ele tem - e, inflados em seu ego, declaram a sua completude: eles se completam, são autossuficientes. Se há Deus, eu quase poderia afirmar que é à sua imagem e semelhança, e não ao contrário.

Parafraseando o filósofo Colin McGrin, os escritos desses tais podem ser definidos pelo termo "mindfuck", cuja tradução em português vou me abster de citar; termo aqui usado com o sentido negativo de manipulação intelectual e não com o sentido positivo de libertação da mente. Esses 'sábios' escrevem com a função de atordoar a mente, alterando os dados da realidade e manipulando informações (nem que seja mediante pressupostos urdidos por eles mesmos). Portanto, a mudança que se consegue, ou a 'conversão' do interlocutor, é fruto de um convencimento falso, fraudulento, via de manipulação.

Outra característica desses personagens é a pouca ou nenhuma paciência com aqueles que não têm a mesma profundidade de conhecimento, ou que não primam dos mesmos raciocínios, ou não adotam iguais premissas que as deles. No máximo tais interlocutores recebem respostas lacônicas ou eivadas de 'generosa condescendência'. Eles representam uma casta, uma malta, onde somente cabem os seus iguais.

Triste é ter de reconhecer que nos deparamos diuturnamente com esses cristãos, despidos de qualquer generosidade, voltados unicamente para o "seu" conhecimento (agnósticos?), completamente embriagados e inebriados pela própria profundidade intelectual, usando Cristo como degrau, ou desculpa, ou muleta, para a consecução dos seus fins recônditos, que pode ser reconhecimento próprio (deles para eles), ou alheio (dos outros para eles), ou, ainda, ambos.





15 comentários:

Regina Farias disse...

Ricardo

Que texto incrível esse seu. Quando eu crescer quero escrever igualzinho rss

Sério, você disse tudo e mais alguma coisa!

A nossa pretensão/tolice assume proporções tão gigantescas que queremos dissecar o criador da obra. Veja a inversão de papéis!

Chega a ser patético esse virus intelectualóide que assume novas mutações cada vez mais rápido rss

Sabe, dias atrás eu não acreditei no que li! Aliás, no que NÃO LI, já que o primeiro parágrafo do texto do moço era escrito inteirinho em GREGO. Pode?! Eu podia jurar que era minha visão (fisiológica) me pregando uma peça. A que ponto chega a vaidade humana?! Nesse caso específico eu respondo: a ponto de perder o senso do ridículo.

Sabe, essa síndrome (inventa aí uma nomenclatura rss) que assola o mundo dos blogueiros ditos cristãos está cada vez mais estranha e contraditória. Você acredita que essa mesma pessoa quis me convencer de que "uso do véu" é mandamento de Jesus,baseando-se em uma série de contradições culminando em um versículo solto lá na frente (1Co 14.37)?!
Eu posso com isso?! (risos)
Enfim, desisti de falar com o rapaz em questão,(dizendo que o assunto por si só estava esgotado, despedi-me educadamente) até porque uma hora ele me dizia que o texto é límpido como cristal, (me chamou de cega) outra hora dizia que era só uma questão de gramática,(me chamou de burra) depois falava em grego (sem comentário rsss) e por fim ele arremata com soberba espiritual dizendo que "Estes ensinos sacros só são entendidos pelo Espírito Santo e não pelo intelecto humano que se contradiz".

Enfim, deixei de mão pois tenho mais o que fazer.

E pra falar a verdade esse comichão que dá na mão da gente pra "digitar", discordar, retrucar, contestar, chama-se também vaidade, confesso. Por isso eu também confesso ter me arrependido de ter entrado nessa viagem mas aí já era meio tarde quando me vi em meio às réplicas e tréplicas que eu abomino.

Afinal meninice tem limite até mesmo pra menino rsss.

E outra: a minha mente merrrrmo não! :) A dele!

(Enfim, tem coisas que só rindo mesmo...)

Abs...

R.

Armando Marcos disse...

ótimo texto Ricardo, alias, eu vejo essa mesma tendência em comunidade no Orkut e no Twitter! tentamos dissecar Deus em TUDO, em cada nuance e movimento! Claro que temos que pisar solidamante em terrenos sólidos e firmes da Palavra, mas as vezes, creio, passamos do ponto em demasia

e também tem o fato de que muitos acham que o Cristianismo é uma "coisa" nova, ou que foi "redescoberto" ou que foi "Definitivamente esclarecido"

Estarei repuublicando esse post no Sola
Abraços
Armando

Roberto Vargas Jr. disse...

Ricardo,
Eu sou tão freqüentemente chamado de arrogante que deveria me calar sobre o assunto.
Mas não resisto a falar um pouco sobre o que você escreve. Você diz: "Não há sequer uma bruma: Deus pode ser apreendido na Sua essência". E isto não é mesmo algo para se maravilhar? Não a atitude de conhecer tudo de Deus, mas que O busquemos e busquemos e sempre haja mais a buscar! Que Sua essência não seja atingida por nós!
Estudar os atributos de Deus, sistematicamente e/ou lendo a Palavra, é algo fascinante! Ele Se revela. E tanto quanto possamos apreender Ele está lá a fazer-Se conhecido. Mas quando descobrimos algo profundo, e achamos que nada pode ser mais profundo, eis que Ele descortina ainda mais um nível! Eis que Ele Se nos mostra ainda mais o Insondável. E vemos que mergulhar em Seus mistérios é mesmo algo para uma eternidade com Ele!
Louvado seja o Deus que nos chamou para esta vida eterna com Ele! E eis que não cessaremos de cantar o que já começamos aqui: Santo, Santo, Santo é o Senhor! Glórias a Ele!
No Cristo, nosso Salvador,
Roberto

Js Pereira disse...

Ótimo blog!!

Ja estou por dentro acompanhando e o seguindo!!!

Abraço.

sarah disse...

Regina,

Obrigado pela visita. Esse foi apenas um texto refutando alguns posicionamentos que acho por demais arrogantes. Quanto a você "querer escrever igual", aceito como brincadeira, já que os seus textos são ótimos, cujo blog eu indico.

Armando,

òtimo comentário, realmente é bem por aí: há aquilo que pode e deve ser buscado, e há o insondável de Deus. Fique à vontade para publicar o texto, caso queira.

Roberto,

Sem rasgação de seda, você sabe que eu aprecio sobremaneira os seus escritos e não vejo neles arrogância, mas o conhecimento dado pelo próprio Deus. Apenas fazendo um adendo: quando falo em que "não há bruma", refiro-me àqueles que declaram, implícita ou explicitamente, apreender TODA a essência de Deus, como se para eles não subsistisse QUALQUER mistério. Esses, dizem exaurir Deus. E o deus que for acomodado no intelecto humano não é Deus, decididamente. Essa é a arrogância a que fiz referência no texto.

Tentar buscá-LO com todas as forças, apreender o que for possível, investigar com o conhecimento, sempre nos colocando abaixo do Seu governo, isso sim, é absolutamente permitido. Sem esquecer, porém, que Ele continua insondável na Sua profundidade.

Sim, Louvado seja Deus que nos chamou, louvado seja Ele!

Grande abraço e obrigado pela visita. Os seus comentárioss são sempre bem-vindos. E eu quero continuar aprendendo sobre filosofia (rsrs). Peço que você tenha paciência com neófitos como eu.

JS,

Obrigado pela visita e por acompanhar este blog. Que tudo seja feito e escrito para a honra e glória do Soberano Deus.

Em Cristo,

Ricardo

Ricardo Mamedes disse...

Amigos,

Mais uma vez saiu errado (a milésima), pois onde se lê "Sarah", leiam "Ricardo Mamedes", logo acima. Erro de registro (rsrs).

Roberto Vargas Jr. disse...

Ricardo, meu caro!
Não posso fazer mais que agradecer seus corteses elogios!
Sobre a bruma, eu quis justamente fazer o contraste com a atitude a que você se refere. Pois a profundidade do Insondável também me maravilha. Quem o conhecerá em essência, plenamente, senão Seu próprio Espírito?
Por isso, subscrevo seu texto!
Quanto à filosofia e, mais especificamente, à epistemologia reformada, bem vindo ao clube! rsrsrs
No Senhor,
Roberto

Cantini disse...

Ricardo!
Um texto realmente para reflexão.
Temos que aprender mais de Deus, mas sabermos exatamente qual é nosso lugar perante Ele.
Somos servos e Ele é nosso Senhor e Rei!
Um forte abraço,
Ricardo

Robson Aguiar disse...

Parabéns Ricardo!

Excelente texto. A imagem escolhida para ilustrar o texto fala por si mesmo. Esses pseudos intelectuais cristãos que acham que são os donos da verdade e da revelação divina, não passam de narcisistas.

Deus continue te abençõando.

Ricardo Mamedes disse...

Cantini e Robson,

Para Deus toda honra e toda glória.

Foi bem isso mesmo que eu quis passar com a imagem: o narcisismo desses supostos "gênios da revelação" voltados para si mesmo, para a "sua" sabedoria. Os enfatuados, parafraseando Paulo.

Grande abraço e obrigado aos dois pela visita que muito honra o editor deste blog. Sintam-se à vontade para voltar mais vezes.

Em Cristo,

Ricardo

Robson Aguiar disse...

Volto a esse invólucro de conhecimentos, para solicitar autorização para republicar a matéria em meu blog.

Ricardo Mamedes disse...

Caro Pr. Robson,

Autorização dada. E tenha a certeza, será uma grande honra ter qualquer escrito meu publicado no seu ótimo blog.

Espero recebê-lo por aqui mais vezes, enriquecendo este espaço com os seus comentários. Que Deus abençoe grandemente o seu ministério.

Um forte abraço,

Em Cristo,

Ricardo

thiago disse...

Ola neofito

Meu, amigo lembre-se das palavras de Galileu Galilei, filho de fidancio galilei de Giuliana de pazza.

''Não me sinto obrigadoa acreditar que o Deus que nos totou de inteligência,razão, e intelcto não pretenda que os utilizemos''

thiago disse...

Vc demonstra apenas que o ônus da prova está com vc, e nada mais.

thiago disse...

Em vez de estudar, a fim de tornar seus comentarios mais plausiveis, e e pasiveis de credito, denigre seus proprios irmão de fé.
Me lembro que o papel de acução, não compete a nos mas ao diabo que cujo significado literal é ACUSADOR parabens irmão esta aprendendo bem com seu professor.

Templosbenks@gmail.com

Postar um comentário

Serão sempre bem-vindos comentários sérios, respeitosos e que convidem à reflexão. Se é esse o seu intento considere-se aceito.

  ©A VERDADE LIBERTA, O ERRO CONDENA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo