sábado, 3 de outubro de 2009

Esaú, o proscrito



muito tempo a condição de um homem na Bíblia vem me causando certa espécie: Esaú. Sempre senti uma certa tristeza e dó ao ler a sua história tão rapidamente delineada nas Sagradas Escrituras.

Agora, lendo um post publicado pelo professor Alan Brisoti sobre Ismael - que até comentei - tudo voltou-me à mente com redobrada força. Acho que ambas as histórias têm algo em comum, especialmente o fato de que os protagonistas não pediram para nascer, o que, pela ótica humana do certo e errado, justo e injusto, não poderia vir em seu desfavor.

A estranheza maior ocorre à luz de Romanos 9-11-13, onde o Criador decreta que, antes do nascimento dos gêmeos, para a finalização de seu propósito quanto à eleição, "amou Jacó , porém odiou Esaú".

À primeira vista, olhando pela ótica da justiça humana (trapo de imundície), não há qualquer pertinência nesse enunciado divino. Como? Porquê amar um e odiar outro sem que eles nada tenham feito, capaz de gerar empatia ou antipatia, antes mesmo de terem nascido? Qual o padrão dessa justiça?

Engraçado é que Deus, para impedir qualquer discussão (já sabendo de antemão que seria inevitável) decreta imperiosamente: "Há injustiça da minha parte? Não. Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão" (Romanos 9: 11-14). E Ele ainda arremata: "quem somos nós para discutir com Ele, quem poderia resistir à sua vontade? Pode o objeto discutir com o construtor?" (Romanos 9: 19-21).

Calvinistas convictos responderão com grande simplicidade: um foi eleito, o outro não; ou: é simplesmente a soberania de Deus. Eu acredito na soberania de Deus, não sou adepto do arminianismo, e ainda assim, a minha natureza indagadora persiste nessa indagação resistente, tentando apreender os motivos de Deus - mesmo sabendo que Ele não precisa de motivos.

A minha natureza humana, calcada nos meus valores, muito aquém dos pensamentos e motivações divinos, teima em buscar uma explicação. Porquê?

Esse, que Deus amou desde sempre, antes mesmo da concepção, demonstrou ser um mau caráter, dissimulado, oportunista , usurpador e, todavia, foi agraciado com uma rica descendência, sendo pai de uma grande nação escolhida por Deus para ser o Seu povo. O outro, não obstante nada ter feito para desagradá-Lo, gerou uma nação maldita (Edom), predestinada pelo próprio Deus à destruição. Porquê?

O histórico bíblico praticamente "mata" Esaú. Malgrado umas poucas vezes em que é citado, no advento da usurpação da bênção paterna (Genesis 27), volta a aparecer somente quando do reencontro (Genesis 33), perdoando o irmão trapaceiro. A partir de então Esaú desaparece do texto bíblico, sendo citada apeas a sua descendência. Porquê?

A Bíblia ainda nos faz inferir que Esaú era um bom homem, que, mesmo após ter roubada sorrateiramente a sua primogenitura, ainda foi capaz de perdoar o irmão e chorar com ele, dispensando qualquer prêmio em razão do perdão, então oferecido gratuitamente.

É imperativo acreditar que Deus nos fez assim tão indagadores, tão contestadores, por ter herdado d'ele essa semelhança, essa característica, que nos diferencia dos demais seres. Isso é resultado da racionalidade que provém d'Ele. Nas minhas divagações sobre esse e outros fatos enigmáticos da Bíblia eu sempre racionalizo que deve haver "um motivo não revelado", um "mistério" por detrás dessas atitudes de Deus. Tais características que me diferenciam e me individualizam como ser pensante e lógico me fazem também indagar: e Esaú, não obstante ter sido afastado da amizade divina sumariamente, foi também impedido de privar do Seu convívio ao findar a sua existência?

Ao tentar buscar o entendimento da essência por detrás das estranhas atitudes de Deus eu concluo que, embasar doutrinas como eleição e graça nos moldes do calvinismo, a fim de garantir e estabelecer a soberania de Deus não é tão difícil. A letra clara dos evangelhos e das Epístolas Paulinas levam naturalmente a esse entendimento. Difícil é entender a justiça em atitudes como as que distanciaram Esaú de Deus desde "antes do nascimento" sem que ele nada tivesse feito (obviamente) para culminar nisso.

Enfim, Deus é Deus.


14 comentários:

Vanderlea disse...

Meu caro amigo e irmão em Cristo, sua resposta para esta questão está na ONISCIÊNCIA de Deus. Antes mesmo de virmos a existência Ele sabe as escolhas que faremos com o livre arbítrio que nos concedeu. Olhe pela ótica Dele: saber que determinadas pessoas não irão aceitá-lo e mesmo assim estender dia a dia sua bondade e misericórdia sobre suas vidas!Quando Esaú vendeu sua primogenitura por um prato de lentilhas estava jogando fora o presente que Deus havia lhe dado, em outras palavras, estava dizendo pra Deus "Não me importo com você e seus presentes, quero é matar minha fome física". Naquele ato (já conhecido por Deus) Esaú fez sua escolha, ele era livre para se aproximar de Deus, mas simplesmente não quis. Hoje também temos o privilégio de escolher se queremos obedecer e servir a Deus ou rejeitá-lo, sabendo que nosso futuro será fruto desta escolha.

Rubinho Pirola disse...

Olá, amigo Ricardo!

Aqui estou eu. E perdoe por ter-me demorado. Eu acabei perdendo. Muito bom o seu blog e os textos. Quisera eu escrever tão bem. Sou apenas um desenhista, um cartoonista, que ama a Deus e os homens que Ele fez.
Esse seu texto é excelente. E corajoso. Sou calvinista, mais ortodoxo que embalagem de maizena, mas que, vez por outra, faz as mesmas perguntas. E nas horas em que do lado Dele, vem só um estrondoso silêncio, baixo a cabeça e vejo brotar em mim um baita temor santo. A nós, amadão, só vale o submetermo-nos e descansar nessa graça e amor que transcende o nosso débil coração.
Força! E obrigado por abençoar-me com as suas reflexões.
E não se esqueça de orar por nós, missionários nessa Europa perdida e rebelde...

Graça e paz sejam sobre vc!

Ricardo Mamedes disse...

Rubinho, Que grande honra recebê-lo aqui neste humilde blog! Vou levar a sua humildade como brincadeira, é claro. Um homem com domínio total das palavras (com as quais brinca) e conhecimento profundo da Bíblia, só tem a me ensinar. E eu busco aprender sempre. Só quero dizer que, a despeito das minhas dúvidas e dos meus questionamentos, amo a Deus e reconheço a sua total soberania. Por isso digo que a nossa pequena inteligência não tem como apreendê-lo, já que os seus pensamentos são muito mais altos do que os nossos. Eu a minha família oraremos por você, a sua família e os demais missionários. Venha por aqui sempre. Amplexos. Em Cristo.

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz Ricardo. Essa questão porque Deus escolheu Jacó e não a Esaú me mostram algumas coisas. A primeira é a soberania de Deus que vemos aqui. Segundo, Esaú foi rejeitado para constituir uma nação (Israel), mas não foi rejeitado para a salvação. Outro detalhe, a Bíblia nos fala que Esaú chorou amargamente por ter sido enganado, mas não alcançou a bênção porque não tinha um coração arrependido por ter vendido a primogenitura (Hb 12.14-17).
Não é fácil entender os planos de Deus, mas uma coisa eu sei Ele sabe o que faz.
Fique na Paz!
Pr Silas
PS. Há um livro muito bom chamado Eleitos Mas Livres da Ed. Vida, do Norman Geisler

Ricardo Mamedes disse...

Olá pastor Silas. Que bom tê-lo aqui no meu blog. Eu gostaria muito de aprofundar esse nosso conhecimento que ora se inicia, especialmente porque também sou batista. Sim, eu reconheço os seus argumentos quanto a Esaú e os conheço, mas ainda restam as indagações no que diz respeito à rejeição prévia de Esaú "mesmo antes do seu nascimento". No fundo eu imagino que é a pré-ciência de Deus. E mesmo com relação ao decreto eterno da eleição, ao contrário dos fundamentalistas caivinistas, eu tenho certeza que Deus não abriu mão do seu atributo da pré-ciência, logo, forçosamente, contemplou a sua criação antes da eleição. Aliás, é essa a linha batista. Eu conheço o livro, que me foi indicado por um pastor, grande amigo e profundo conhecedor da Bíblia. Que a paz de Cristo fique contigo.

Peregrino do Evangelho disse...

Valeu Ricardo, o teu blog também esta excelente, sigamos em frente na noss luta de divulgar o Verdadeiro Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Também estou te seguindo AQUI NO TEU BLOG, ABRAÇOS

Roberto Vargas Jr. disse...

Olá, meu caro Ricardo.
Perguntinha bem fácil de responder essa: por quê?
Bem, sou calvinista e minha resposta (ou tentativa de resposta) obviamente passa pela soberania divina. Basear a escolha divina na presciência é, como lhe disse em outro lugar, a posição arminiana. A noção calvinista de presciência é de apenas um aspecto da onisciência e a escolha divina tem por base unicamente a Sua vontade e Seus santos, justos e bons desígnios que, enfim, são insondáveis para nós. E minha tentativa de resposta morre aqui.
Assim como nos demais, meu senso humano de justiça chega a me confundir por um instante ao pensar neste “por que”. Porém minha submissão à Palavra e o reconhecimento de que não existe um justo sequer, não me deixam enganar que Esaú tenha sido bom (exceto, talvez, aos nossos olhos humanos). Deste modo, mesmo sem entender os “porquês”, vou seguindo, infinitamente grato por ser um dos escolhidos, certo de que não tenho qualquer mérito nesta escolha!
Realmente muito bom o blog, meu caro. Já está incluído no meu leitor!
No amor do Salvador,
Roberto

Ricardo Mamedes disse...

Caro Roberto,
Concordo contigo nesse ponto. De fato a presciência para fundamentar a escolha de Deus tem fundo arminiano. Igualmente concordo que o insondável de Deus pode e certamente tem outras respostas. Pena que é insondável (rindo). Também concordo com a sua afirmação sobre Esaú... quem pode dizer que ele era bom, quando a própria Bíblia nos diz tão pouco? E, fosse assim, Deus, na sua imensa justiça, teria feito diferente. Aliás, reconheço: quem sou eu pra conjecturar tanto sobre Deus? Que Ele tenha misericórdia de mim!
Obrigado pela visita. As suas considerações sempre tão pertinentes enriquecem esse pequeno espaço criado para refletir sobre Deus, exaltá-Lo e glorificá-Lo.
Em Cristo, o nosso Salvador.

Durvanir Costa disse...

Olá Ricardo,estou conhecendo seu Blog e gostei muito e em especial essas suas dúvidas que são extremamente pertinentes e sadias e que todo cristão sério tem. Gostei muito dos comentários onde foram todos equilibrados.

Helder Nozima disse...

Ricardo,

A resposta é: depravação total. Se Deus não elegesse a alguém, a Jacó, ninguém seria salvo. Por que o mais novo e não o mais velho? Mistério. Mas a depravação total, a certeza de que nenhum de nós é bom e de que todos merecemos o inferno, nos ajuda a ver com mais resignação e até alegria o mistério da predestinação.

Abs.

Capão Desbravadores disse...

Boa noiTe gosTei muiTo do Teu Blogs de verdade ...
Mais Tenho umas indagaçoes e gosaria q o Sr apreciasse esses TexTos.

Mateus 7:19-24
Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.
Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis.
Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.
Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha;

Mateus 15:7-8
Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo:
Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.

Isaías 29:13
O Senhor disse: Visto que este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu

Concordo que Deus nos predestinou todos para a salvação, pois Ele mesmo confirma em:
1 Timóteo 2:3-4
Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador,
O qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.

E também:

João 3:14-18
E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nele crê tenha a vida eterna. Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

Tenha atenção para os versículos acima.

Se Deus predestinou uns para salvação(e não todos conforme os versículos acima dizem), então Deus predestinou uns para crerem e outros para não crerem, se todo o que não crê já está perdido, então Deus predestinou uns para salvação e outros para perdição conforme esta lógica.

Irmão Clóvis, vc demonstra ser uma pessoa muito cristã na maneira de falar e argumentar.

Isto mostra que o seu caráter foi purificado pelo sangue de Cristo.

A predestinação é uma doutrina que parte do princípio que devido a onisciência de Deus, Ele já traçou tudo o que os seres humanos iriam fazer.

É muito semelhante ao conceito espiritualista de destino.

Se todos temos um destino, já traçado que não podemos nos desviar, pois qualquer desvio apenas mostraria que nosso destino seria nos desviar (e não ir pelo primeiro caminho), então meu destino será me perder ou meu salvar.

Meio a meio. Acerto ou erro. Cara ou coroa.

Concordo que Deus sabe o fim desde o príncipio, mas pq Ele pede 3 vezes à Pedro que “apascente suas ovelhas”?
ConTinua...

Capão Desbravadores disse...

Se eu como cristão não faço nada para levar meu vizinho à Cristo, e este morre sem conhecer e aceitar Jesus, então meu vizinho estava predestinado a se perder?

Se vivo quase minha vida inteira ao lado de Cristo, mas no final dela, me afasto por sucumbir à um pecado, estava eu predestinado por Deus a me afastar Dele no fim?

Esta doutrina, parte do princípio que Deus, manipula os eventos de forma que uns se salvem e outros se percam.

Creio que Deus é infinitamente poderoso para fazer o que Ele assim quiser, porém se Ele pode manipular os eventos para que uns os aceitem e outros não, então pq Cristo clama para que abramos a porta de nossos corações para que Ele possa entrar?

Não seria uma dicotomia?

Querido irmão Clóvis, eu te pergunto então o seguinte:
Se Deus planejou todos os acontecimentos, todas as nossas atitudes e tudo o que aconteceria conosco, planejou que todos se salvassem e ninguém se perdesse, pq então a execução de Seus planos não funcionaram?

Pq ele não predestinou Lúcifer à salvação e assim nunca teríamos passado por tudo o que passamos neste planeta?

Se Deus predestinou o homem à salvação, então todos seremos salvos, não?

Pq os versículos dizem que uns serão e outros não?

Eu respondo:
Ele nos deu um presente maravilhoso (mas arriscado) chamado livre-arbítrio.

Se Deus tem o poder de mudar o meu coração para que eu me salve, sem que eu queira não fere o meu livre-arbítrio?

Lúcifer, Eva, Adão, Caim, Faraó, Hitler, e todos os da outros escolheram usar os seus livre-arbitrios e alguns se perderam e outros não.

O plano de Deus é infalível e perfeito sim.

Porém a premissa para que o plano funcione é a entrega do coração, por amor.

Salmos 37:5
Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará.

Este texto acima é uma ordem ou um pedido?

Se for uma ordem, então todos seremos salvos, se não, então temos a livre escolha de sermos salvos ou não.

Pense e analise logicamente as afirmações bíblicas sobre a salvação através do sangue de Cristo.

Se existe um meio para a salvação é por que existem meios para a perdição.

Se posso me perder é pq posso me salvar.

Se existe a possibilidade de viver nas mansões celestiais é pq existe a possibilidade também de não viver.

Se tudo está predestinado à acontecer, se os eventos são imutáveis, Deus assim planejou, então pq devemos pregar o evangelho?

Deus não já predestinou quem vai se perder e quem vai se salvar?

Crer na predestinação, é o mesmo que crer nas teorias de viagens no espaço-tempo, aonde se fosse possível que eu viajasse no tempo e tentasse mudar algo do passado, nada do que fizesse conseguiria impedir que os eventos que já aconteceram, acontecessem de novo, pois assim estaria gerando um paradoxo no qual poderia ocasionar o meu não nascimento e minha viagem no tempo jamais teria existido e eu jamais teria alterado o futuro.

Saber que algo vai acontecer no futuro, não implica que tenha que acontecer.

Deus nos chama de seus eleitos, pq Ele nos predestinou?

Para que alguém possa ser eleito, este porventura não teria que ser primeiro elegível?

Quem são os eleitos de Deus?

2 Timoteo 2:10
Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória.

Paulo diz que suporta tudo para que os eleitos obtenham a salvação. Se eles são eleitos, pq então não estão predestinados à salvação?

Lucas 14:24 diz:
Porque vos declaro que nenhum daqueles homens que foram convidados provará a minha ceia.

A palavra em grego para “convidados” é eklektoi que também aparece em:

Apocalipse 17:14
Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele.

Abçs e aguardo suas considerações.

Na Paz de CrisTo..

Capão Desbravadores disse...

SAO PALAVRAS PARA NOSSO IRMAO CLOVIS.. MAIS E PARA NOSSA APRECIAÇAO ...

DESCULPA OFENDI ALGUEM, NAO FOI A INENÇAO..

NA PAZ DE DEUS...

Capão Desbravadores disse...

SAO PALAVRAS PARA NOSSO IRMAO CLOVIS.. MAIS E PARA NOSSA APRECIAÇAO ...

DESCULPA se OFENDI ALGUEM, NAO FOI A INtENÇAO..

NA PAZ DE DEUS...

Postar um comentário

Serão sempre bem-vindos comentários sérios, respeitosos e que convidem à reflexão. Se é esse o seu intento considere-se aceito.

  ©A VERDADE LIBERTA, O ERRO CONDENA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo