terça-feira, 21 de agosto de 2012

A (minha) síndrome




Mais uma vez o sumiço. Quando eu disse que estava retornando, o retorno se fez fictício, já que nada mais foi escrito aqui no blog.  Pura ausência, nadica de nada.


Mas passemos aos fatos, posto que hoje é preciso escrever alguma coisa. Algo atual que está acontecendo comigo e  que eu faço questão de compartilhar com irmãos e amigos. Não há o que esconder, muito pelo contrário, vejo que em tudo o nome do SENHOR está sendo engrandecido. Não se trata de qualquer testemunho também, eu os abomino.


Compartilhei no facebook meio que en passant um problema que acometeu com a minha saúde e que, resumindo, trata-se de uma deficiência visual no olho esquerdo que surgiu abruptamente, sem qualquer aviso: estava eu assistindo TV há mais ou menos 60 dias, quando, de repente, surgiu uma grande sombra na minha vista esquerda. Depois de três dias, a sombra se manteve, o que me obrigou a buscar especialistas na cidade de Cuiabá. Depois de cansativos exames, ultrassonografias, tomografias, etc, fui diagnosticado “provavelmente” com toxoplasmose ocular e imediatamente medicado com uma grande carga de corticoides.


No entanto, por precaução, resolvi ter um segundo diagnóstico e então fui até Goiânia, exatamente por ser hoje um dos melhores centros oftalmológicos do Brasil e do mundo. Com um excelente médico indicado junto ao CBCO, dirigi-me até lá com a minha família a tiracolo (como ficar sem elas, as minhas mulheres?). Ficamos então hospedados em uma belíssima cobertura de um primo médico (parte boa), cujos filhos também são médicos – e a mais nova, Cristiane, fazendo residência em oftalmologia. Aqui começam as “coincidências” divinas, as quais quero mais enfatizar neste texto muito pessoal. Encurtando a história, a Cristiane me pediu que consultasse com a sua professora, com especialidade em neuro-oftalmologia, exatamente a área em que minha visão se encontrava afetada. Assim fiz.


Fui atendido por uma excelente médica, pessoa de rara generosidade. Eu e a minha esposa, porém, sentimos naquela mulher uma grande tristeza e eis que ela nos confessou assim  repentinamente que estava passando por um difícil período, pois a sua irmã, advogada de 32 anos, havia sido acometida de uma raríssima síndrome e alcançada por um AVC quase fatal, ficando três meses internada no hospital (UTI), agora em casa com acompanhamento de enfermeiras em razão das limitações físicas advindas do acidente vascular. Fizemos as nossas considerações e desejos de melhoras, mas mais não foi dito. Examinado por ela, houve a constatação imediata de que não se tratava o meu problema de toxoplasmose ocular, considerando-se desde já a possibilidade de uma doença autoimune, como, por exemplo, a esclerose múltipla – e confesso que essa possibilidade me deixou atemorizado.


Fui então encaminhado pela profissional a outro médico, um excelente reumatologista, o mesmo que havia diagnosticado a síndrome da sua irmã (da médica) e que estava tratando-a (ainda está). Descartou-se também sumariamente a toxoplasmose ocular, ficando-se com a possibilidade dolorosa da esclerose múltipla. As coisas não estavam se encaminhando bem... contudo, por incrível que possa parecer, a calma e a serenidade me acompanhavam naqueles dias, assim como têm me acompanhado até agora. Sustenta-me o Senhor, tenho plena certeza.


Encaminhado a uma série de exames,  inclusive genéticos com punção do líquido espinhal (um negócio chato), no dia seguinte, um dia antes de retornar para casa, aquela médica me ligou meio preocupada dizendo que necessitava falar comigo de qualquer jeito, antes do meu retorno. Coincidentemente eu já estava abrindo o meu email para verificar resultados de exames que haviam me enviado do laboratório. Eram exatamente aqueles genéticos voltados para algumas síndromes,  como esclerose múltipla e outras mais. Vi, admirado, que um deles deu positivo, referente ao alelo B-51. Sem explicações complementares, fui ao bom google e descobri que estava com a síndrome de Behçet (http://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_de_Beh%C3%A7et), uma doença autoimune que ataca miseravelmente o organismo, fazendo muitos e muitos estragos nas articulações, veias, vasos sanguíneos, nervos, pulmões, coração e sistema nervoso central. No meu caso, o ataque foi, ao que parece até o momento, nas articulações e nervos, razão do ataque ao nervo ótico. Daqui pra frente terei de fazer um severo acompanhamento vascular, neurológico, etc.


A notícia causou muita dor à minha esposa e filhas, pois o impacto imediato realmente é grande. Conversamos muito e chegamos à conclusão de que Deus estava e está conduzindo todo o processo. Ele me levou aonde eu deveria ir, para consultar quem deveria ter consultado. Desviou-me do meu caminho inicial e conduziu-me ao Seu caminho. A serenidade então me acompanha desde aquele momento até o presente, e me acompanhará para sempre.


Com ou sem síndrome, afetados ou não por doenças, sejam elas as piores, estamos de fato nas mãos de um Deus Todo Poderoso, aquEle Oleiro que faz o que quer das suas criaturas (Romanos 9), querendo elas ou não! Creio, agora confrontado com a minha fé calvinista, tantas vezes criticada, que Deus controla todas as coisas; que no Seu Decreto Eterno o meu dia está marcado, assim como o de todos nós. E será um dia de Glória! Se eu temo a morte, que espécie de fé tenho? Mas, se ainda que tema, perca a serenidade e a alegria de viver, morrendo antecipadamente a cada dia e levando à morte aqueles que estão à minha volta e que me amam, que espécie de fé é esta que tenho? Que cristão serei eu?


Decidi ter dias serenos e alegres, porque estou me sentindo assim. E sei que a paz que sinto diante de uma situação tão difícil excede todo entendimento, porque é a paz que vem de Cristo. Não sei o que acontecerá no futuro, pode ser que o meu organismo seja constantemente atacado, ou não. Uma coisa é certa, repito, não anteciparei qualquer sofrimento que possa vir.


Enfim, consegui compreender de maneira factível (se assim posso me expressar), ou melhor, de maneira concreta, real, dura e inexorável, que a minha fé está mesmo de acordo com aquela retratada em Hebreus 11:1, cuja certeza e convicção prescindem da sua materialização. Deus não precisa e não deve ser provado. A minha fé, hoje confrontada, não exige a cura da minha doença. Nem sequer espero tal cura.


A síndrome, em si, está a cooperar comigo, na medida em que fortalece a minha fé, me aproxima mais e mais dos meus queridos e me traz calmaria ao espírito, serenidade e equilíbrio.


Em tudo, que seja Honrado e Glorificado o Senhor.

Ps: A minha síndrome é a mesma da irmã da médica e estou sendo tratado pelos mesmos médicos que dela tratam: reumatologista e neurocirurgião. Coincidência?

8 comentários:

André disse...

Caro Ricardo,

Eu e a Norma não deixamos de orar por você esse tempo todo, mesmo não sabendo como as coisas estavam sendo conduzidas. Agora, diante do seu relato, não posso deixar de sentir preocupação e pesar. Mas também vejo claramente, com base no pouco que você contou, a divina direção em tudo o que ocorreu. Graças a Deus pelo diagnóstico preciso, pelas possibilidades de monitoramento que você terá de agora em diante. E mais ainda por essa paz que excede todo entendimento, da qual me lembro muito bem, pois a sentimos na época da morte do nosso bebê. Deus é maravilhoso, e é muito bom encontrá-lo ciente disso nessa hora, e confiante de que tudo isso coopera para o seu bem, segundo a promessa das Escrituras.

Já vínhamos orando por sua saúde, e vamos continuar, agora que sabemos com mais clareza do que se trata. Mas também vamos orar por sua família e pela glória que Deus certamente manifestará em sua vida, seja de que modo for.

Continue firme, e conte conosco para o que precisar. Um grande e saudoso abraço!

Regina Farias disse...

Ricardo,

Sem querer jogar confetes, sempre admirei suas colocações ponderadas tanto em textos como em comentários e, por isso, seu sumiço foi bem notado por mim. Quando você simulou uma volta muito me alegrei, ficando na expectativa de novas leituras interessantes como antes... E nada.

Hoje, iniciando a leitura desse novo texto, fiquei num misto de alegria e tristeza. Alegria, porque imaginava sua volta de outra forma. E, tristeza à medida que fui lendo, ainda que (graças a Deus!) você se sinta tão em paz, na paz que excede todo o entendimento!

É impressionante a serenidade e firmeza que você me passa nas linhas e entrelinhas deste relato. E, apesar de ter virado um clichê, isso sim, é que eu chamo de testemunho, pois que fundado numa fé inabalável mesmo diante de determinadas circunstâncias.

Outro dia eu li um 'testemunho' no Púlpito Cristão que me deu foi repugnância, pois o cara, mesmo sofrendo de um 'espinho na carne' se exaltava em cada parágrafo, como se aquilo o tornasse especial.

E aqui eu vejo o contrário, vejo uma pessoa lúcida, mas verdadeiramente humilde e confiante. Você sabe que sou avessa a certos jargões igrejistas por tornarem-se meramente mecânicos de tão repetitivos, mas eu tenho que dizer o quanto isso tudo que te aconteceu no percurso nada tem de coincidência, e sim, como diria um amigo de meu filho, tem JESUScidência. Isso basta.

Beijo grande, e que Deus abençoe a ti e a tua família!

Ricardo Mamedes disse...

André e Norma,

Vocês são pessoas especiais, irmãos queridos que têm a minha estima e admiração. Fico grato pelas orações e sei que Deus de fato as ouve e está a me abençoar neste momento difícil, dando-me a tranquilidade necessária. Rogo a Deus que igualmente continue a abençoá-los em tudo, e, sendo da Sua vontade, que lhes traga outro bebê, pois eu me recordo de tudo que passaram e também orei por vocês junto com a minha igreja.

Grande abraço, queridos amigos e obrigado pelas generosas palavras.

Ricardo.

Ricardo Mamedes disse...

Regina, caríssima amiga,

Realmente, a fé é testada nos momentos difíceis e eu tenho a plena convicção de que em mim não há qualquer mérito, mas EXCLUSIVAMENTE dEle. Dependesse de mim, sobraria apenas o desespero. Desculpe por ter demorado tanto a responder, mas é que estou no meio do tratamento, viajando pra lá e pra cá. Neste momento estou em Goiânia fazendo revisão com os médicos, retornando pra casa somente amanhã à noite.
Graças a Deus, com os novos exames constatou-se uma incrível melhora nos sintomas da vista esquerda, cujas sequelas, se houver, serão mínimas. Quanto ao resto, é acompanhar seguidamente e torcer para que tudo vá bem. Contudo, se não é possível prevenir novos ataques, dá para remediá-los e diminuir a sua incidência. Estou realmente tranquilo.

Grande abraço, obrigado, conte com a minha amizade, respeito e admiração.

Ricardo.

António Jesus Batalha disse...

Olá meus amigos irmãos. Muita paz e graça do Senhor Jesus.
Estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, e o achei muito edificante, com bons textos, e feito com muito bom gosto. Eu acredito que Deus vai usar estes belos textos para edificar corrigir e exortar.
Continue a dar o seu melhor, a ser uma ferramenta nas mãos de Deus.
Na nossa humildade, Deus nos exaltara quando chegar a hora dEle.
Desejo-vos muito sucesso, não só para o blog, mas para toda a vossa vida.
Ficarei feliz por vossa visita ao meu blog.
Que Deus continue a abençoar-vos ricamente.
António Batalha.
PS. Se seguir meu blog, fique á vontade, pois vou retribuir se encontrar se blog.

Jorge Fernandes Isah disse...

Oi, Ricardo!

Depois daquela conversa por telefone, não tivemos mais contato. Mas venho acompanhando o desenrolar dos fatos através do facebook, orando por você, pedindo a Deus que o cure, mas que, sobretudo, dê-lhe a paz de Cristo que excede todo o entendimento, fortalecendo-o e sustentando-o como sempre fez.

Não deixe de mandar notícias, por favor!

Grande abraço!

Cristo o abençoe!


Fruto do Espírito disse...

A Paz de Cristo, conhecer seu blog alegrou meu coração. Suas mensagens são edificantes para o Corpo de Cristo, e um bálsamo para todos que acessam esse espaço abençoado.
Como prova do meu amor cristão deixo uma lembrancinha que fiz, espero que goste do acróstico:

C ultivar uma vida de oração.
R evigorar-se pela leitura diária da Palavra.
E star sempre disposto a obedecer a Deus.
S er uma testemunha fiel no viver e no falar.
C onsagrar a Deus seu corpo, tempo e talentos.
E sperar de Deus a orientação para a vida.
R evestir-se do poder do Espírito Santo.

Nós precisamos CRESCER na Graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog, deixo o convite.
http://frutodoespirito9.blogspot.com/

Em Cristo,

***Lucy***

P.S. Convido a visitar o blog do irmão J.C. repleto de mensagens abençoadoras; algumas polêmicas, porém ricas de entendimento.

Acesse:
http://discipulodecristo7.blogspot.com/

Paulo Brasil disse...

Amado Ricardo.

Li as notícias, confesso que abateram-me logo no princípio.

Depois, graças dou ao Senhor, por mantê-lo firme e esperançoso em meio a uma situação tão complexa.

Contudo, saber de você novamente muito me alegra. E espero que Deus motive o irmão a escrever mais frequentemente.

Que o Senhor fortaleça o amado e família e que a graça e a bondade do Santo sejam com todos vocês.

Um grande abraço e nossa admiração.

Paulo e Glória

Postar um comentário

Serão sempre bem-vindos comentários sérios, respeitosos e que convidem à reflexão. Se é esse o seu intento considere-se aceito.

  ©A VERDADE LIBERTA, O ERRO CONDENA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo