terça-feira, 26 de julho de 2011

Tesouros fugazes para ladrões vorazes



Se me perguntarem como anda a minha vida certamente eu direi sem pensar: nada boa. Na última semana, em um dia comum, no intervalo das 19:30 às 21:00 horas, enquanto eu assistia ao culto na igreja e minha esposa se encontrava no escritório, distante da nossa casa menos de 100 metros, tive a minha residência invadida por meliantes. Pela quinta vez em menos de uma década. Pela segunda vez em um ano e meio. Seria normal imaginar que tenho uma casa com pouca segurança, mas não. A casa é segura, localizada em região privilegiada da cidade, onde pessoas trafegam constantemente e policiais fazem ronda.

Ainda assim, tive os meus bens mais uma vez surrupiados na calada da noite sem que nada pudesse ser feito para impedir ou dificultar a ação ilícita dos larápios. A investigação posterior, até o momento, não logrou obter qualquer informação que leve a polícia ao paradeiro dos furtadores e à recuperação dos objetos furtados. Meus computadores - novos - se foram: um note(book) e um net, ambos de muito boa qualidade. E muitas jóias da Luciana, minha mulher. Desta vez foram-se brincos, pulseiras, pingentes e anéis.

Vão-se os anéis ficam os dedos. Não resisti a desencavar o adágio popular. E o antigo aforismo me fez lembrar as Escrituras: "Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam nem roubam" (Mateus 6:19-20).

Coisas podem ser compradas e se perdem. O valor das coisas é também variável. O ouro, por exemplo, depende da cotação na bolsa. Anéis, pulseiras e brincos vão e vêm. A vida, por seu lado, não tem valor mensurável, tampouco varia ao sabor dos mercados. Minhas filhas e minha esposa poderiam ter sofrido alguma violência, ou mesmo ter as suas vidas ceifadas se estivessem em casa quando da ação dos bandidos. Elas estão bem, graças a Deus.

Tudo o que possuo, todas as coisas, foram dadas por Deus, uma vez que nada há que não esteja sob o pleno controle e determinação dEle. Nada acontece aleatoriamente, fora da ação de Deus - e todas as coisas cooperam para o bem daqueles que o amam..., já dizia o apóstolo Paulo. Logo, o furto é de somenos importância, quando imagino a perda inestimável que poderia ter sofrido não em relação a coisas, mas pessoas, entes queridos que amo.

Coisas são nada, riquezas se evaporam, pois são efêmeras: "Não te fatigues para seres rico; não apliques nisso a tua inteligência. Porventura, fitarás os olhos naquilo que não é nada? Pois, certamente, a riqueza fará para si asas, como a águia que voa pelos céus" (Provérbios 23:4-5).

Da tristeza e da impotência podemos extrair ensinamentos. Nas perdas pode se obter ganhos; da fraqueza pode se obter força. A revolta deve durar pouco quando "coisas" são perdidas, especialmente porque outros "bens" restaram intocados - e estes intrinsecamente valiosos.

Bendito seja o Senhor que me dá todas as coisas e bendito seja o mesmo Senhor que as tira de mim, quando isto se faz necessário!

A vida segue o seu ritmo, continuo a trabalhar, tento a cada dia crescer no conhecimento da Verdade, perco a paciência tantas vezes, transijo outras; caio e levanto. Porém, Deus é o meu Senhor e é para Ele que me volto nos momentos de alegria e de dor.

A transitoriedade da existência dá os seus sinais a cada dia que passa, lembrando-me que os verdadeiros valores se encontram em Cristo, o Salvador. Tristezas e alegrias duram por pouco tempo, são fugazes: como o éter que se dissolve e exala ao sabor do vento.

Olho para trás, bato o pó das sandálias e decido seguir adiante, deixando de lado tristezas passadas, momentos de fugidia desesperança, revoltas passageiras, firmado unicamente na certeza de que novos dias e novos momentos virão, até que finalmente eu termine a carreira - com ou sem "coisas" - mas mantendo a fé.


9 comentários:

Regina Farias disse...

Ricardo,

Que relato mais lindo!

Que serenidade!

Em momentos assim é que nossa fé é provada.

Admirável...

R.

Pastor Geremias Couto disse...

Como na vida, o final do seu texto trascende qualquer outra expectativa.

Abraços.

Jorge Fernandes Isah disse...

Ricardo,

há quase dois anos, também fui vítima de roubo em meu trabalho. No meu caso, eu estava presente, fui ameaçado com um revólver e uma faca, e dei graças a Deus por minha vida, e por estar sozinho no local, naquele momento.

À época, escrevi um texto que está em meu blog; e faço suas as minhas palavras: louvo e bendigo a Deus por nos proteger e aos nossos queridos, revelando o seu cuidado e de que, mesmo nas tribulações, somos abençoados e ensinados por ele.

Grande abraço!

Cristo o abençoe!

Paulo Brasil disse...

Amado,

como é bondoso o Senhor, e como Ele nos conduz por caminhos "impensáveis" para nos fazer crescer em sabedoria e graça.

A ELE honra e louvor de eternidade a eternidade.

Ricardo Mamedes disse...

Regina,

A nossa fé é mesmo provada sempre. E não raras vezes nos decepcionamos com nós mesmos, ao nos depararmos com as nossas fraquezas. Reconheço que nem sempre sou forte - eu diria que na maioria das vezes sou mesmo é fraco, sinto raiva, explodo, etc. Aliás, sou bem humano, com as peculiaridades que isso implica.

Obrigado pela visita e grande abraço!

Ricardo.

Ricardo Mamedes disse...

Pastor Geremias,

Obrigado pela visita. Deveras, a expectativa do porvir transcende a tudo! Aliás, o que mais o cristão pode querer, senão estar com Cristo?

Grande abraço!

Ricardo.

Ricardo Mamedes disse...

Jorge, querido amigo!

Como eu disse, coisas são apenas coisas, que podem ser descartadas. Vidas não.

Posso imaginar o sofrimento que vocês passaram diante da violência! Graças a Deus não fomos vítimas de algo assim, logo, agradeço a Deus pelo livramento.

Certamente aprendemos com as tribulações e creio sinceramente que Deus as usa para nos ensinar - coisa que o Gondim não entende (rsrsrs).

Bendito seja o nome do Senhor para Sempre!

Abraços e que Cristo o abençoe e aos seus.

Ricardo.

Ricardo Mamedes disse...

Paulo,

Repito as suas palavras: "A ELE honra e louvor de eternidade a eternidade".

Mais uma vez agradeço a visita, pedindo a Deus que o abençoe, juntamente com a sua família e ao seu ministério.

Abraço!

Ricardo.

Victor Silva disse...

Graça e paz irmão. =)

Me desculpe estar lhe falando sobre isso aqui, por um comentário. Mas rogo encarecidamente ao irmão, que nos ajude a divulgar um texto intitulado "Manifesto Cristão" que vai no link abaixo.

http://aounicodeusverdadeiro.blogspot.com/2011/07/manifesto-cristao.html

Ele é apenas uma adaptação de alguns textos de vários autores Cristãos. A intenção é apenas levar esta palavra ao maior número de pessoas possível. Isso é um manifesto contra o evangelicalismo moderno, que tem enganado muitas pessoas e desonrado ao nosso amado Senhor Jesus.

Leia o texto, e se achar pertinente postar em seu blog, ficarei imensamente honrado e agradecido. Se conhecer outras pessoas ou blogueiros que possivelmente se interessariam em divulga-los, seriam maravilhoso também. Se você não quiser, não precisa citar fonte nem nada desse tipo, toda glória é do Filho. Só a publicação do conteúdo, para o conhecimento de mais pessoas, já seria uma benção sem tamanho. Do contrário, sua leitura dele, já me deixará muito contente.

Desculpe qualquer incômodo. Desde já, grato pela atenção. =D

Victor Silva

Postar um comentário

Serão sempre bem-vindos comentários sérios, respeitosos e que convidem à reflexão. Se é esse o seu intento considere-se aceito.

  ©A VERDADE LIBERTA, O ERRO CONDENA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo