terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Recado do "ungido" : recado recebido





Acabo de voltar da igreja neste momento e, para minha grande tristeza e descontentamento, fui obrigado a assistir novamente ao antigo espetáculo de péssimo gosto que outrora, há bem pouco tempo, era protagonizado pelo "profeta" Levi Medeiros nos "arraiais gospel da Associação Oeste", e em especial na igreja batista local.

Lutei contra essas práticas horrendas, voltadas para a emoção, o êxtase, o cai-cai, a gritaria estéril, a carnalidade travestida de "espiritualidade", até que Deus tirou o profeta do nosso meio. Se era bom, verdadeiro e espiritual, por que não permaneceu? Todavia, bastou o pastor viajar para que as lições daquele de outrora se traduzissem em horrorosa realidade. Hoje, novamente tive que assistir ao mesmo espetáculo, primeiro com uma pregação dirigida a mim, então nomeado como "perseguidor de crentes espirituais". Declarou-se que é assim mesmo, pois os que seguem a Cristo e "labutam" na causa são mesmo perseguidos pelas "forças malignas". Logo, sou obrigado a entender que faço parte "dessas forças contrárias". Confesso que seria cômico se não fosse trágico!

Dado o recado, passou-se à pregação veterotestamentária. Em poucos momentos já se voltou ao velho e nefasto costume: "vire-se para o irmão e repita..." Uma das tantas técnicas idiotizantes do neopentecostalismo firmado na confissão positiva.

Para piorar tudo e coroar o show (para mim de péssimo gosto), intimou-se a "plateia" a ir à frente, colocando-se o mesmo som repetitivo de outros tempos como "pano de fundo", enquanto o pregador repetia frases e mais frases de triunfalismo (declare isso... declare que você pode aquilo...) e outros tantos chavões neopentecostais bem disseminados pelo "profeta" e apreendidos pelo pupilo.

Eu sou obrigado a concordar com essa boçalidade? Serei forçado a engolir esse amontoado de asneiras como símbolo da verdadeira espiritualidade vigente?

Finalizando, quero citar o post de um grande amigo quando exatamente discorre sobre "Quebrantamento e sã doutrina", a respeito da fé baseada em emoção e divorciada da Palavra de Deus; a fé cega, ignorante, que atropela princípios bíblicos ou que pouco os considera, já que a espiritualidade deve estar à flor da pele; o culto passa a ser um show, e o templo um circo:

"É verdade, conhecimento apenas é aridez. Corre-se o risco de não se adorar deus algum. Mas quebrantamento sem conhecimento é emoção fugaz. Corre-se o risco de adorar um deus qualquer. Que cuidemos em não cair em um ou outro erro!"

Vou repetir aqui mais uma vez e que fique registrado: vou continuar resistindo, lutando pelo culto racional, baseado na sã doutrina e não em métodos neopentecostais firmados na confissão positiva. Lutarei contra os chavões vazios, contra frases de ordem, contra o triunfalismo da IURD e do Valdemiro Santiago; a auto-estima, a autoajuda; uma vez que a figura de Cristo e o seu sacrifício não somente diminuem o homem como devem colocá-lo sob o Seu senhorio.

Eu, senhores, não posso nada por mim mesmo (por isso a boçalidade de tudo isso), mas "Posso tudo naquEle que me fortalece". E é nEle que eu continuarei firmado, encravado na Rocha Eterna, pouco importando que usem o púlpito para atingir-me com acusações levianas e mentirosas.

"Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo" (Colossenses 2:8).

Espero que os irmãos reflitam na Palavra, que é o manual que nos protege do erro. Lembrem-se das mentiras e falsas profecias do profeta e comparem os métodos daquele, com os métodos deste. E escolham a Verdade em Cristo.

15 comentários:

Esli Soares disse...

Ricardo...

Vamos orar...

É o que comentarei aqui!

Ricardo Mamedes disse...

Esli...

Noite ruim, caro amigo. O que tranquiliza é saber que Deus cuida da sua igreja; mas o tempo dEle não é o meu, portanto, devo esperar. A verdade aparecerá no "tempo" de Deus. Assim como o profeta se foi, a sua prática também deixará de produzir frutos para a perdição. Espero que as "escamas" caiam dos olhos dos cegos, dos irmãos de boa fé.

Grande abraço!

Em Cristo, a Rocha Eterna!

Ricardo

Jorge Fernandes Isah disse...

Ricardo,

é realmente uma tristeza perceber e ver os caminhos que os homens seguem ao afastarem-se do Evangelho.

Tenho o púlpito como um lugar sagrado, exclusivo para a proclamação da Palavra, não é um lugar onde se deve mandar recados, se autopromover, fazer proselitismo político ou ideológico. Ali Deus tem de ser ainda mais glorificado, tem-se de ter reverência, e não é lugar para qualquer um fazer o que bem lhe dê na telha.

Seguindo o conselho do Esli, estarei orando por sua igreja também, para que Deus a santifique e faça-a voltar aos Seus caminhos santos, proclamando o que tem de ser proclamado: Cristo e a Sua palavra, nada além disto.

Forte abraço, meu irmão!

Fica na paz do nosso Senhor!

Ricardo Mamedes disse...

Jorge,

Você está certo. Porém, eles vendem a imagem de espirituais e muitos acreditam que o que eles dizem e fazem retrata a verdadeira espiritualidade. Espero que a igreja evangélica e os crentes voltem a ser bereanos, voltem à Palavra, discernindo o certo do errado. Nós sabemos que há muita coisa que aparentemente é boa, mas no fundo é má, como as atitudes que denuncio.

Que Deus tenha misericórdia da Igreja! Não me preocupo comigo, pois tenho discernimento, graças a Deus, mas sim com novos convertidos, com os irmãos simples, bem como com aqueles que detestam o que está acontecendo (muitos me procuraram), mas silenciam.

Grande abraço meu irmão e obrigado pelo apoio!

Em Cristo,

Ricardo

zwinglio rodrigues disse...

Ricardo, paz!

Solidarizo-me contigo por conta de suas dores... no entanto, gostaria de lembrá-lo que os que sacrificavam aos ídolos e se prostituiam na Igreja de Tiatira são chamados de "meus servos" pelo Senhor... me entendes?

Roberto Vargas Jr. disse...

Ricardo,
No que me toca, há ainda mais de curioso neste evento. Escrevi o texto de forma rápida, como um pensamento súbito! Creio que dizer isso é o suficiente para que se entenda o meu encanto!
Quanto ao seu caso, não há saída: é manter-se firme na sã doutrina. Pois quanto aos servos do Senhor, Ele os conhece. A nós permanece a tarefa de julgar árvores pelos frutos e sermos fiés, tanto quanto Deus nos conceda, à Palavra!
No amor do Senhor,
Roberto

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz Ricardo.
É muito ruim estarmos num lugar onde a nossa presença incomoda os outros, principalmente se for na igreja em que congregamos. Espero que esse episódio seja algo isolado e que não venha a se repetir. Ainda mais porque foi na ausência do pastor. Como diz um velho ditado: "Quando o gato sai de casa os ratos fazem a festa". Mas, se Deus quiser esses ratos não farão mais festas.
Que o Senhor abençoe a sua igreja e a sua vida.
Fique na Paz!
Pr. Silas

blogdaleilahh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
blogdaleilahh disse...

Hoje acordei pensando sobre os avivalistas de hoje.
Eles têm algumas técnicas de emocionar a platéia.

E eu? Fico no meu banco pedindo perdão a Deus por não estar acreditando na Palavra Dele que está sendo ministrada.
Tenho que ficar vigiando meus pensamentos. É um exercício difícil.
Ainda mais quando se sabe sobre a vida em pecado daquele avivalista que está em púlpito. Aí só Deus mesmo!
E que Ele tenha misericórdia de mim, pois aí já não sei se é Deus mesmo que está presente naquele lugar.
Ora vem Senhor Jesus!!!!

Ricardo Mamedes disse...

Caros amigos,

É reconfortante receber tantas mensagens de apoio! Muito obrigado a todos, e que Deus esteja com vocês!

Pr. Zwinglio,

Esquecendo as nossas diferenças - que para mim não influenciam na nossa fé, tampouco na salvação - diga-me clara e cristalinamente a sua posição sobre essas manifestações e práticas referentes à confissão positiva e que grassam na minha igreja local, na qualidade de pastor batista. A sua opinião, nesse caso, será muito importante.

Roberto,

Concordo com você e seguirei o seu conselho: firme na doutrina! E, como viu, me apropriei de parte do seu excelente texto, aproveitando para agradecer.

Pr. Silas,

A sua opinião também é de grande importância, pois, também, na qualidade de Ministro Batista com larga experiência, tem muito a contribuir. Conto com os inestimáveis conselhos do irmão.

Leilah,

Como você vê, essa praga está invadindo igrejas pelo Brasil todo, mas o remanescente fiel "não se dobrará a Baal!".

Grande abraço a todos, e que Deus os abençoe grandemente!

Ricardo

zwinglio rodrigues disse...

Ricardo,

Vejo exageros no neopentecostalismo... não sou favorável à confissão positiva no sentido da TP... sou contra as ameaças de púlpito que muitos praticam... e aí, isso não é só privilégio dos neos... não vejo problema em se tratar de auto-estima... não vejo problemas em conduzir as pessoas à frente pra receberem oração... o que não se pode fazer é evidenciar um ato desse como mágico e indispensável à prática litúrgica... em síntese, o equilibrio das coisas é o que é fundamental...
*
No seu caso, me parece que as coisas são extremas... todo extremo é perigoso... não é?

Ricardo Mamedes disse...

Zwinglio,

Eu falo de autoestima como autojustificação ("eu" posso isso, "eu" posso aquilo; "eu" determino). Você não acha que tal proceder anula a obra vicária de Cristo e a Justificação? Porque a partir do momento em que o sujeito determina que pode alcançar todas as coisas, exclusivamente pelas suas forças, inutiliza a obra de Cristo e elimina Deus como aquele que concede a graça.

Não é chamar para orar. É chamar para receber "unção"; é o sujeito "transferindo" unção. Você reconhece tais ações como bíblicas? Ou devemos ser plenamente dependentes de Cristo e nos diminuirmos frente a Ele?

Grande abraço.

Ricardo

zwinglio rodrigues disse...

Ricardo,

Sem querer me alongar muito... dizer "posso todas as coisas naquele que me fortalece" não anula em nada a obra de Cristo... a meu ver... isso é um exemplo...
*
O problema são os usos mágicos... do tipo idade média... declarações religiosas... coisas assim... não sei se me fiz entender...
*
Sobre as orações... unções... gostaria de lhe perguntar se o que o irmão tem a dizer sobre a imposição de mãos no NT...
*
Fique em paz!

Ricardo Mamedes disse...

Zwinglio,

Entendi sim, e é exatamente sobre isso que me referi: o uso mágico da "unção" curadora, ou restituidora vinda do homem. Unção eu somente conheço uma, a que vem do Espírito Santo e que não tem intermediários humanos, somente Cristo, o Caminho, a Verdade e a Vida.

Ricardo

DANIJULIAO disse...

Ricardo,

há 2 anos, recebi a benção de Deus de ser membro de uma igreja cujos ensinamentos vem firmemente da Palavra do Senhor, onde não há espaço para "espetáculos espirituais", seja por parte do Pastor ou dos membros.
Minha conversão ocorreu enquanto frequentava uma igreja onde, infelizmente, havia os shows inesperados de pessoas falando em línguas, repetidamente, e ainda por cima, como "papagaios de pirata", pois o que alguém falava era o que se repetia por todo o templo. Nunca participei e, sinceramente, no início, achei que o problema estava em mim, até que percebi que isso não era realmente um problema.
Neste lugar, as orações já eram começadas com um clamor apelativo, que queria impor uma certa emoção e como eu sempre achei que soava falso, sofri sozinha durante um tempo, até perceber que nem todos compartilhavam daqueles rompantes de "euforia santa".
Me entristece saber que, naquele lugar onde há imenso potencial de alcançar vidas para Jesus, sejam realizadas obras e cultos direcionados às vontades humanas, ao invés de serem feitas com o objetivo de elevar honra e glória ao Deus Todo Poderoso.

Postar um comentário

Serão sempre bem-vindos comentários sérios, respeitosos e que convidem à reflexão. Se é esse o seu intento considere-se aceito.

  ©A VERDADE LIBERTA, O ERRO CONDENA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo